terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Perto Demais

A correria do dia a dia me tirou várias coisas boas. Uma delas é ir no cinema ou ver um filme em casa mesmo.

Na raridade das vezes que estou à frente da TV buscando alguma coisa pra ver, nada me atrai a ponto de ficar duas horas uma história.

Pois, hoje, o filme imã desses últimos anos passou de novo. Eu dormi duas horas e meia antes do filme, vendo TV. Acordei exatamente na hora que começou. Aproveitei o primeiro intervalo pra acordar melhor.

Daí em diante passou como um segundo.

Que filme incrível. O elenco sensacional. O inglês londrino. O jeito da Nathalie Portman. Ela é a liga do filme. O imã. O que vale pagar 10 vezes para assistir. O Clive Owen também.

Engraçado que quando vi a primeira vez, em 2005, tive uma certa repulsa pela personagem dele. Hoje, achei o cara sensacional.

O diretor Mike Nichols é um cara que veio do teatro e, segundo leituras pela internet, o cara não tinha emplacado no cinema. Por mim já pode se aposentar. Acertou em cheio.

O filme passou voando. Os diálogos diretos, rápidos, insensíveis, precisos, ríspidos e cheios de charme me fizeram ganhar a noite.

Assistam sempre que puderem.








Um comentário:

Carina Kunze disse...

pois é, tive uma certa repulsa quando vi a primeira vez esse filme, mas acho que é por que ele é extremamente direto, e, não diria insensível, por que a sensibilidade esta muito presente, mas ele é muito real, e cai como uma bomba, pesado por ser nu e cru.
Mas é mesmo fantastico, concordo contigo!
Pena que não sabia que estava dando...
Buenas, aproveite bem as férias!!!
abraços