Alcides Ghiggia: "O Uruguai vai longe"
FIFA.com

O uruguaio Alcides Ghiggia é dono de uma história de vida impressionante. Foi ele quem marcou o gol decisivo da final da Copa do Mundo da FIFA de 1950, no Maracanã. Hoje, aos 83 anos, ele mal lembra aquele jovem que protagonizou o famoso "Maracanazo". Mesmo assim, 60 anos depois, o ex-atacante continua sendo homenageado. Ele esteve na África do Sul para receber a prestigiosa Ordem do Mérito da FIFA. Durante o evento, teve de dedicar alguns minutos a um ritual inevitável: aceitar cordialmente os pedidos de todos os jogadores da seleção uruguaia para tirar fotos ao seu lado.

Em seguida, o ex-craque, considerado uma lenda viva do futebol uruguaio, deu uma entrevista exclusiva ao FIFA.com. Durante a conversa, ele opinou sobre os rumos da África do Sul 2010, falou sobre as opções do Uruguai e contou as melhores recordações que tem da final de 1950.

Sr. Ghiggia, em primeiro lugar, parabéns por ter recebido este prêmio. O que o senhor sente neste momento tão especial?
Eu me sinto muito emocionado. Este prêmio significa muito para mim, foi algo que eu não esperava. Acho que poucas pessoas receberam a Ordem de Mérito, foi algo que me pegou de surpresa. Receber uma medalha e um troféu a esta altura da minha vida é algo muito emocionante. Não sei bem como explicar o que sinto, foi a melhor forma de reconhecimento que eu poderia ter. Não preciso de mais nada, foi como fechar um ciclo.

O senhor aproveitou a ocasião para assistir aos jogos?
Assisti a quase todas as partidas e posso dizer que não há nenhuma seleção que se sobressaia em comparação com as outras. É um torneio muito equilibrado, com menos gols do que o esperado. Os grupos estão se focando demais no setor defensivo, e por isso acho que teremos um Mundial estranho. Sim, acho que esta palavra é adequada para descrever esta competição.

O que o senhor acha da campanha que o Uruguai vem fazendo até agora?
O que eu posso dizer? Acho que os uruguaios estão se saindo muito bem. Eles fizeram uma grande partida contra a França, que é ex-campeã mundial, e conseguiram um bom empate na estreia. Depois golearam a África do Sul com uma atuação excelente e voltaram a conquistar uma vitória diante do México. Não poderiam ter feito melhor.

Se olharmos para a vitória sobre a África do Sul, poderemos ter a sensação de que os uruguaios são mais fortes quando jogam como visitantes. O senhor concorda?
Sim, claro, isso é algo que faz parte de todo jogador uruguaio. Quando a situação é mais difícil, quando tudo joga contra, o espírito de equipe se sobressai. Chamamos isto de "garra charrua", é algo que tem um papel importante nos momentos complicados.

Há pouco vimos todos os jogadores da seleção uruguaia tirando fotos com o senhor. Qual deles mais o surpreendeu em campo?
Não sei, é difícil falar de um só. Todos tiveram um ótimo desempenho na fase de grupos. (Diego) Forlán e (Luis) Suárez são os que marcam os gols, mas este grupo também tem um grande meio-campo e uma defesa sólida. Não vai ser fácil para ninguém ganhar do Uruguai, disto eu tenho certeza.

O técnico Óscar Tabárez já treinou o Uruguai em outra Copa do Mundo da FIFA. Qual é a importância que ele tem à frente do grupo?
Ele é muito importante! Tabárez sabe como as coisas funcionam e sabe comandar a seleção da melhor forma possível. Acho que essa experiência está sendo muito valiosa para ele. Converso bastante com ele sobre tática, esquemas e sobre o jogo em si. É impressionante como o futebol mudou com o tempo. Agora não há muito tempo para pensar, há muita pressão e o jogador é obrigado a decidir o que deve fazer um segundo antes de receber a bola. A marcação é muito mais forte.

Neste contexto, até onde o Uruguai pode chegar?
O destino é quem dirá, mas acho que irá longe. Não sei o que acontecerá nos próximos jogos, mas, pelo que vi até agora, poucas seleções mostraram todo o seu potencial. Talvez elas mostrem nas próximas partidas, mas acima de tudo acredito que o Uruguai vai dar o que falar.

Em breve, você poderá assistir à entrevista exclusiva em versão completa com Alcides Ghiggia. Nela, ele conta os melhores momentos da Copa do Mundo da FIFA 1950 e do famoso "Maracanazo". Não se esqueça de visitar a seção Campeões Mundiais!


Fonte: www.fifa.com