quinta-feira, 2 de junho de 2011

Eles são A Banda mais Bonita da Cidade

Ufa! Finalmente!


Já não aguentava mais ver a felicidade somente propagandeada pela Coca e pela Fifa. Parece que a felicidade só existe engarrafada ou nos gramados da África e futuramente nos do Brasil.


Os curitibanos d'A Banda mais Bonita da Cidade não lançaram um viral ou mais um mantra modinha dos apaixonados.


Fizeram um jingle que não sai da cabeça e que estimula paz e amor. E mesmo que os hippies tenham sido incorporados pelo sistema ou estão desbundando pelo mundo, paz e amor são sentimentos que não podem sumir, nestes tempos de humanidade desumanizada.


A mídia adora violência, comoção, muros, grades, repressão. Falam de paz na semana do Natal, no Ano Novo e nos resto do ano mais do mesmo.


O mundo quando muda eles não mostram. Proponho que se tenha um canal Internet na TV. A proposta é bem velha, não é minha. As pessoas deviam acordar e ouvir Oração. É a versão do século XXI do bom e velho Profeta Gentileza, o popular que pregava "gentileza gera gentileza".


Muita gente falando bem, alguns falando mal. As paródias se multiplicam. Umas depreciativas, como todo o fenômeno de massas produz. Mas deu a possibilidade de enriquecer nossas lutas, como fez o pessoal da Universidade Federal de Pelotas. 





Eles tratam de um tema relevante pra todo mundo, independente do gosto, foram simples, repetitivos sim (e daí?), a gravação do clipe é de alta qualidade, num plano-sequência muito bem feito, onde a interação das pessoas, dos instrumentos e da própria música fizeram o negócio atingir milhões em uma semana. 


Eu tô atrás da Banda pra uma entrevista. Saber mais do balão, do amor, do que querem da vida. QUEM SÃO ELES? Pra onde vão? 


Se ficassem por aqui, já teriam dado uma boa sacudida na mesmice. Acredito que eles vão conseguir cativar muito mais que os corações dos apaixonados, já inundados pela música, que é um bonito refrão. 


O refrão mais legal que ficou na minha cabeça. Antes disso, só decorava axe music, jingles de políticos safados e meteoros da paixão. Obrigado pros mais bonitos da cidade.

2 comentários:

andreiapisco disse...

"A mídia adora violência, comoção, muros, grades, repressão."

A mídia não é sujeito e quem adora essas coisas é a audiência. Não é tão simples assim...

Rodolfo Mohr disse...

A mídia é sujeito tb. Quem envia pensa no que faz. Não é tão simples assim.